Notícia

Gabinete Civil

Gabinete Civil do Estado de Alagoas
Quarta, 01 Abril 2020 05:16
PREVENÇÃO

Em uma semana, HGE vacina quase 1,6 mil profissionais contra Influenza

Foram utilizadas 1.598 doses; houve distribuição de senhas e restrição de entrada ao local de vacinação para evitar aglomerações

Durante a vacinação houve distribuição de senhas e restrição de entrada no local para evitar aglomerações Durante a vacinação houve distribuição de senhas e restrição de entrada no local para evitar aglomerações Ascom HGE
Texto de Neide Brandão

A maior unidade de emergência estadual, o Hospital Geral do Estado (HGE), imunizou, contra Influenza A e B, quase 1,6 mil profissionais, durante a última semana. Foram 1.598 doses utilizadas. Na metodologia adotada para a vacinação e privando os profissionais de aglomerações, a unidade contou com distribuição de senhas e restrição na entrada do auditório, local destinado as aplicações.

 

“Tudo ocorreu como previsto e os profissionais respeitaram as orientações. Para aqueles que não conseguiram se vacinar durante a última semana, sugerimos se deslocar a um posto de vacinação da Atenção Básica munidos do crachá ou algo que comprove o vínculo como profissional de saúde”, orientou Angelita Batista, uma das responsáveis pela organização da imunização no HGE.

 

Paulo Teixeira, gerente do hospital, reforçou o compromisso com a saúde dos profissionais da unidade hospitalar. “Influenza também mata em muitos casos. A intenção do governo federal com a antecipação desta imunização é, justamente, minimizar a sobrecarga nos hospitais, neste período da Covid, com pessoas gripadas com Influenza. A vacinação minimiza isso e torna o diagnóstico mais preciso, além de proteger nossos profissionais contra mais um vírus”.

 

Mito - O médico também explicou que, em alguns casos, a imunização pode acarretar uma febre ou dor local. “Isso é uma reação normal do organismo porque a vacinação estimula o sistema imunológico. Algumas pessoas até ficam com uma mal estar geral, ficam indispostas. Mas nada comparado a doença em si e suas complicações, como sintomas respiratórios e pneumonia em alguns casos de H1N1, por exemplo”.